No início deste verão, a Associação Internacional dos Chefes de Polícia (IACP) divulgou uma declaração pública do Comité de Segurança Interna da IACP, do Comité de Terrorismo, do Comité de Aviação e do Comité de Comunicações e Tecnologia intitulada "Resolução conjunta de apoio ao reforço das autoridades para a deteção e mitigação de sistemas de aeronaves não tripuladas (UAS) não identificáveis, maliciosos e/ou não autorizados".

A declaração é uma resposta ao facto de não ter sido aprovada nos Estados Unidos qualquer legislação significativa relativa à expansão das autoridades anti-UAS desde a Lei de Reautorização da FAA de 2018. Além disso, as autoridades existentes para o Departamento de Justiça e o Departamento de Segurança Interna expiram em 30 de setembro de 2023. Para muitos agentes da autoridade, da segurança pública e proprietários e operadores de infra-estruturas críticas, a falta de ação do Congresso deixou a nossa pátria vulnerável à ameaça em rápida evolução da utilização descuidada ou nefasta de UAS. Para compreender como chegámos a este ponto, visite Uma breve história dos C-UAS para aplicação da lei nos EUA The article summarizes some of the leis and legislation introduced to date, including S. 1631, which contains many of the recommendations mentioned in the resolution from the IACP.

The IACP strongly supports a more comprehensive approach to airspace awareness and protection, including expanding authorities to law enforcement and infra-estruturas críticas to “detect, identify, monitor, and track UAS.” The entire IACP joint statement is included below:

CONSIDERANDO QUECONSIDERANDO que a Associação Internacional dos Chefes de Polícia (IACP) reconhece que os Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas (UAS) proporcionam benefícios económicos e sociais significativos para os Estados Unidos e que é imperativo que os Estados Unidos liderem a nível mundial esta tecnologia inovadora; e CONSIDERANDO que a IACP reconhece que a grande maioria das operações de UAS não representa qualquer ameaça; e

CONSIDERANDO QUE, the IACP believes that the misuse of UAS presents substantial economic, segurança pública, and national security risks. This includes disrupting commercial activity, industrial espionage, interfering with law enforcement and public safety operations, endangering others operating in the national airspace system and on the ground, terrorism and criminoso activity, and other nefarious conduct; and

CONSIDERANDO QUEAtualmente, apenas quatro departamentos ou agências federais, o Departamento de Defesa (DOD), o Departamento de Justiça (DOJ), o Departamento de Energia (DOE) e o Departamento de Segurança Interna (DHS) têm autoridade para empreender acções de deteção e mitigação de sistemas de aeronaves não tripuladas (C-UAS) para missões especificamente adaptadas em condições específicas. Embora estas autoridades sejam cruciais para proteger a segurança e a proteção de instalações e bens críticos, é necessária uma abordagem mais abrangente para proporcionar uma defesa em camadas e um conhecimento do domínio aéreo de operações, eventos e locais sensíveis da segurança pública e do sector privado. Alguns destes incluem instalações de infra-estruturas críticas, prisões, reuniões de massas, tais como eventos desportivos e de entretenimento, operações de incidentes de emergência e operações de aviação. Sem uma autoridade alargada, estes tipos de eventos e locais enfrentam um risco significativo de operações de UAS maliciosas, imprudentes e não autorizadas; e

CONSIDERANDO QUE, the nefarious use of drones is also recognized as a global and multi-national threat with the United States having experienced cross border incidents and the transport of illegal drugs, contraband, and explosives.

DECIDE-SE, POR CONSEGUINTE, QUEA Associação Internacional dos Chefes de Polícia (IACP) insta a que a legislação federal apoie uma abordagem abrangente para lidar com a proliferação de sistemas UAS e a contra-ação de sistemas UAS que, no mínimo, inclua o seguinte

  • Expandir as actuais autoridades do DOJ e do DHS para proteger as infra-estruturas críticas, os bens nacionais cruciais e as instalações comerciais, tais como centros de transporte, instalações militares, aeroportos e instalações de ajuda à navegação associadas.
  •  Permitir e autorizar as autoridades policiais estaduais, locais, tribais e territoriais (SLTT) e os operadores de infra-estruturas críticas (incluindo aeroportos) a detetar, identificar, monitorizar e seguir os UAS nas suas jurisdições e em torno das suas instalações, respetivamente.
  • Authorize and appropriate funding for pilot programs for state, local, tribal, and territorial (SLTT) law enforcement (including airports) to deploy and evaluate Sistemas C-UAS with appropriate controls in place, including federal training, certification, and oversight; and privacy, civil rights, and civil liberties controls commensurate with federal standards.
  • Enable federal departments or agencies to effectively conduct investigação, testing, training, and evaluation of C-UAS identification, detection, mitigation, and engagement technology and equipment;
  • Mandatar a coordenação intergovernamental entre os departamentos ou agências federais, incluindo o DHS (incluindo a Administração da Segurança dos Transportes), o DOJ (incluindo o Gabinete Federal de Investigação), o Departamento dos Transportes (incluindo a Administração Federal da Aviação), a Comissão Federal das Comunicações, a Administração Nacional das Telecomunicações e da Informação e outras agências federais, estatais e locais adequadas.
  •  Estabelecer um equilíbrio entre a autoridade alargada dos C-UAS, protegendo simultaneamente a privacidade, garantindo a segurança da aviação, permitindo uma regulamentação federal contínua e a supervisão do espaço aéreo nacional, e permitindo a atividade comercial autorizada.
  • Expandir o atual processo de Restrição Temporária de Voo (TFR) de modo a incluir uma via para que as forças policiais estatais, locais, tribais e territoriais (SLTT) se coordenem diretamente com a Administração Federal da Aviação (FAA) para restringir a atividade dos UAS em eventos especiais, sem necessidade de apresentar um pedido através dos departamentos ou agências federais.

Garantir a segurança e a proteção do espaço aéreo nacional e o risco terrestre associado é uma prioridade crucial para as nossas organizações de segurança pública e a capacidade de contrariar operações UAS maliciosas, imprudentes e não autorizadas desempenha um papel significativo na consecução desse objetivo.

Não perca um evento, artigo ou oportunidade importante do sector! Inscrever-se para um C-UAS Hub inscrição gratuita para marcar os seus conteúdos favoritos e receber as nossas newsletters.

Post Image - Centro de comando das forças policiais (Crédito da imagem: Adobe Stock by BPawesome)