Durante o feriado de Ano Novo, a Rússia lançou 84 drones contra a Ucrânia. As forças de defesa aérea ucranianas conseguiram destruir todos os drones russos. Desde setembro de 2022, as forças armadas ucranianas abateram cerca de 500 drones inimigos. 

Yuriy Ignat, porta-voz do Comando da Força Aérea das Forças Armadas da Ucrânia, fez a seguinte declaração durante uma emissão televisiva a nível nacional na televisão ucraniana... "Se eles vão bombardear a um ritmo tão rápido como durante essas duas noites, então, de acordo com a informação já anunciada pelos nossos serviços especiais e de informações sobre um novo lote de 250 (drones), pelo menos metade deles já foram utilizados". 

O Presidente do Parlamento Europeu, Ignat, afirmou que os números não devem induzir em erro. A Federação Russa pode obter o seu próximo carregamento de drones do Irão, mas a Ucrânia está a preparar-se para um ataque maciço russo. 

"Vamos preparar-nos. Abatemos drones. Como podem ver, 84 drones foram abatidos em dois dias - na véspera de Ano Novo e no dia seguinte. 100% [dos drones] foram abatidos pelas forças de defesa aérea. Estes resultados nunca foram alcançados antes. O número de drones já se aproxima dos 500 desde 11 de setembro. Ou seja, 500 drones abatidos. O mesmo acontece com os mísseis de cruzeiro, mas um pouco menos. Desde o 11 de setembro que conto os ataques às infra-estruturas críticas da Ucrânia", diz Ignat. 

Note-se que o inimigo está a aumentar propositadamente a utilização de drones iranianos baratos, numa tentativa de desgastar a defesa aérea da Ucrânia e de exercer pressão psicológica sobre os cidadãos ucranianos. 

Volodymyr Zelensky, Presidente da Ucrânia, declarou que a Rússia planeou um ataque terrorista prolongado utilizando drones Chahed de fabrico iraniano para tentar esgotar as defesas ucranianas (Forças ucranianas).